"E aqueles que foram vistos dançando foram julgados insanos por aqueles que não podiam escutar a música." Nietzsche

Formspring

segunda-feira, 25 de novembro de 2013

Desabafos de Uma Educadora em Crise

"DEPENDE DE MIM, DEPENDE DE NÓS"

Quando um ser humano pratica algo violento, costumamos dizer que ele "é doente". Isso geralmente se aplica a Hitler, por exemplo, e recentemente foi utilizado para classificar o auxiliar de enfermagem que estuprou uma paciente, na UTI, em São Paulo.

Essa é uma maneira inconsciente de dizermos que um ser humano "normal", não faria isso. Obviamente ao falarmos estaríamos do lado das pessoas normais, com a nossa humanidade "protegida" da ideia vil de que seríamos capazes de fazer algo do gênero.

Entretanto, longe de ser um desvio, uma exceção, há uma regularidade nos comportamentos violentos, ao longo da história. Logo, parece ser inerente ao ser humano oprimir, dominar, manipular, usar, abusar, atropelar o outro, para satisfazer interesses/desejos individuais ou dos seus coletivos, imediatos ou não.

Ser uma pessoa melhor, então, é literalmente lutar contra tais características que nos impulsionam contra a existência e a dignidade dos nossos semelhantes e dessemelhantes, em benefício dos nossos interesses/desejos individuais ou dos seus coletivos, imediatos ou não.

Tirinha: Malvados
Título: Música incidental, Somos todos Índios, Fagner.

Um comentário:

Anônimo disse...

O Gênio das Multidões, Charles Bukowski
o que existe de falsidade, ódio, violência e absurdo na
pessoa mediana é suficiente para abastecer qualquer
exército em qualquer dia
e os melhores no assassinato são aqueles que pregam contra
ele
e os melhores no ódio são aqueles que pregam o amor
e os melhores na guerra por fim são aqueles que pregam a paz
aqueles que pregam deus, precisam de deus
aqueles que pregam a paz não têm paz
aqueles que pregam o amor não têm amor
cuidado com os pregadores
cuidado com os sabe-tudo
cuidado com aqueles que estão sempre lendo livros
cuidado com aqueles que ou detestam a pobreza
ou têm orgulho dela
cuidado com aqueles que elogiam facilmente
porque precisam de elogios em troca
cuidado com aqueles que censuram facilmente
porque têm medo do que não conhecem
cuidado com aqueles que sempre procuram multidões
porque sozinhos não são nada
cuidado com o homem mediano, com a mulher mediana
cuidado com seu amor, seu amor é mediano
busca o mediano
mas existe gênio em seu ódio
há gênio suficiente em seu ódio para te matar
para matar qualquer um
não desejando a solidão
não entendendo a solidão
eles vão tentar destruir qualquer coisa
que seja diferente das que conhece.
não sendo capazes de criar arte
eles não entenderão arte
eles irão considerar seu fracasso como criadores
apenas como uma falha do mundo
não sendo capazes de amar completamente
eles acharão que o seu amor é incompleto
e então eles lhe odiarão
e seu ódio será perfeito
como o brilho de um diamante
como uma faca
como uma montanha
como um tigre
como cicuta

sua mais perfeita arte