"E aqueles que foram vistos dançando foram julgados insanos por aqueles que não podiam escutar a música." Nietzsche

Formspring

terça-feira, 1 de março de 2011

Da série: Desabafos de uma Educadora em Crise

AMASSA A LATINHA COM A BUNDA

Chocados com o meu título? Lamento, não é meu, mesmo sendo tão nosso! Bem,


... depois de uma puxada semana de trabalho, travando embates e debates sobre assuntos que dizem respeito a nossa forma de ver a realidade, como colonialismo, neocolonialismo, racismo, preconceitos, de me desdobrar para tentar mostrar a alguns estudantes que os seus olhares são reflexos de relações de poder, de como acontecimentos passadistas estão e muito presentes em nós, de maneira negativa, de que é preciso "desconstruir", reelaborar...

... por acaso ouço, incrédula e paralasida, o hit pagodístico baiano (sim, baiano):

"Amassa a latinha com a bunda!"
"Amassa a latinha com a bunda!"
"Amassa a latinha com a bunda!"
"Amassa a latinha com a bunda!"
"Amassa a latinha com a bunda!"
"Amassa a latinha com a bunda!"
"Amassa a latinha com a bunda!"

... e todos, sobretudo todas, a rebolarem os glúteos em obediência ao que solicita a música! Subitamente as imagens se fundiam da sala de aula do colégio, com aquela sala de aula ao ar livre, e me ocorreu:

- Será que estou no mundo errado?

2 comentários:

Anônimo disse...

QUE TENSO!

Quézia Neves disse...

"Pra frente, pra frente
Cintura, cabeça, Tchubirabiron.
Eu sei que você quer,
Sei que você tá querendo!"

Eu ando mesmo é querendo cantarolar "pare este mundo que eu quero descer".

É, Dai, no pátio da escola é fácil esquecer que o “modus vivendi” dos educadores (professores, diretores, pais) é quem fala mais alto na formação ou deformação dos seus "pupilos".

Do que era corpo discente, nesse momento, é exigido apenas que se tenha um corpo "decente": mercantilismo indecente.

Definitivamente, a escola já não é mais um espaço para o pleno desenvolvimento do ser humano. A "boa" escola-negócio deve apenas garantir a formação acadêmica que assegure aos seus alunos-clientes uma excelente oportunidade de trabalho, para depois poder alcançar o máximo prazer possível com o mínimo esforço.