"E aqueles que foram vistos dançando foram julgados insanos por aqueles que não podiam escutar a música." Nietzsche

Formspring

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Da série: "baú vivo e mágico."









... DO INQUIETANTE



de 26/07/2005


A existência sempre me fez, e muito provavelmente continuará fazendo, habitar nos recônditos do inquietante... 


Para determinadas mentes, as que se abriram para o que convencionamos chamar de conhecimento, viver é um êxtase insano de buscas e necessidades insatisfeitas...


Ando com vontades largas e profundas... Uma espécie de expansividade para o além das coisas criadas e outorgadas pelo humano, mesmo me servindo dele e de mim, que também sou humana, para tentar transcender...

Vontade de fotografar nuvens, de viajar sem destino perseguindo horizontes, de saltar no espaço como criança danada, que tenta des-cobrir o segredo guardado debaixo das saias do universo... 

Cada vez menos me sinto pertencente a este mundo das coisas vazias e invariavelmente medíocres. Na TV os mesmos problemas, as mesmas piadas, a mesma beleza branca e européia, a mesma fome de comida, e a mesma falta de apetite por mudanças...

A evolução é a evolução das formas e da superfície, mas não encontro mais sofrimento nestas constatações, apenas sinto que vão desaparecendo as amarras ilusórias que me prendiam a tudo isso... e me nascem asas... 

Vôo!...

Um comentário:

Fabiana disse...

ah que texto massa, me vi com essa inquietação que se personifica em asas depois de um tempo...

esse é o melhor estágio.