"E aqueles que foram vistos dançando foram julgados insanos por aqueles que não podiam escutar a música." Nietzsche

Formspring

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010


A EDUCAÇÃO PRECISA DE PA(I)Z

O que está acontecendo atualmente com a relação Família/Escola, no âmbito das escolas particulares, é algo que gira entre o assustador e o patético. Cômico não fosse trágico, trágico não fosse cômico.

Quando vemos progenitores/as na escola, tememos: quem será a vítima?

Escândalos, xingamentos, depreciação, humilhação, racismo, violências recorrentes para a já violentada profissão de Educador/a.

Reféns, é como nos sentimos!

Tempos atrás uma mãe furibunda, literalmente espumando e vociferando contra a coordenação, atacava, pois seu filho teria sido prejudicado em míseros 0,3 décimos!... Notas consideradas baixas ou contrariar o desejo dos filhos é despertar a ira cega de pais e mães, que inadvertidamente pensam estar protegendo os seus filhos, quando na verdade os prejudicam ao darem exemplos de arrogância, ignorância, prepotência.

Na Educação nem sempre o cliente tem razão, oh obtusas figuras!

Se o seu filhinho não obteve a média ou a nota “devida”, não veja isso como um cabelo na comida, e não venha chamar o “gerente” para reclamar. Faz parte de um processo! Não estamos aqui para agradá-los à exaustão, mas para ajudar na formação de seres humanos, exatamente aqueles seres capazes de bombas atômicas, genocídios, holocaustos, desvios de verba, etc.!

O nosso desafio hodiernamente é ajudar na formação de pessoas que, além de tecnicamente preparadas, sejam humanamente capazes. Ensinar a empatia, alteridade, respeito, moedas de sobrevivência, em tempos de barbárie - cenário high tech.

A EDUCAÇÃO PRECISA DE PAZ, e precisa de pais e de mães que compreendam a complexidade do processo educativo, estando de mãos dadas para a superação dos desafios, na busca do conhecimento consciente, crítico, possibilitador de um mundo novo.

No entanto, os prognósticos não são muito favoráveis, este relato em desabafo denuncia uma realidade crescente. Estamos quase no momento de finalizarmos as nossas orações  com um: “mas livrai-nos dos pais, Amém!”.

É sério, bem mais sério do que podemos pensar. No cerne de tudo isso está uma sociedade coisificada em que tudo se transforma em produto passível de troca e descarte, uma relação de poder progressivamente assimétrica, pois nos falta organização e apoio para dizer: basta!

Respeitem-nos.

Estamos sendo fragilizados cotidianamente, desvalorizados propositadamente, acoados.
.
Não esqueço quando certa feita um amigo professor relatou que um pai em reunião com ele, e na presença do filho, alertava para o rebento, apontando para a frente, que se não estudasse muito poderia terminar como ele. Poderia terminar sendo professor.

É sério, bem mais sério do que podemos pensar.

3 comentários:

Anônimo disse...

Existir, como ser humano, é andar num deserto. Inadvertidamente, movidos pelo medo, matamos tudo a nossa volta. Somos seres tristes, melancólicos. Vivemos, como civilização materialmente próspera, uma riqueza material sem orgulho. Ela não veio acompanhada de justiça e paz. Condenamo-nos a uma morte lenta e agonizante. Curiosamente ainda temos esperança, num líder que nos apontará o caminho. Engraçado é que se ele vier, o mataremos. Por que qualquer transformação na direção de um futuro requer uma coragem que não temos.
Shanti

Drica disse...

Amém.
Dri

Irene Nousiainen disse...

Convido você a conhecer o Programa 5 minutos de Valores Humanos. É um trabalho muito interessante de levar a formação em valores humanos para as salas de aula, gratuitamente, e já conta com 300 aulas prontas para serem aplicadas pelo professor. Como são de apenas 5 minutos cada uma, não interfere na programação do dia. Este é um trabalho desenvolvido por pessoas interessadas em fazer algo para tentar melhorar a base de formação de nossas crianças. O Programa não é ligado a nenhuma organização, religião, partido político, seja lá o que for. É unicamente comprometido com a formação em valores humanos, base de uma sociedade mais justa, igualitária, pacífica e fraterna. Informações sobre o Programa e download gratuito das aulas você encontra no site: www.cincominutos.org
Essa é a nossa contribuição.
Bjus