"E aqueles que foram vistos dançando foram julgados insanos por aqueles que não podiam escutar a música." Nietzsche

Formspring

quarta-feira, 3 de junho de 2009


.HUMANIDADES
.

Era um daqueles domingos melancólicos, das ruas vazias e silêncio incômodo. Atravessava a praça para estudos na casa de uma colega mais afeita às burocracias do Universo Acadêmico, do que eu...



Distraída com o dia que incomodava e ansiosa para me livrar da praça que, vazia, tornava o meu dia ainda mais cinzento, nem me dei conta. Alguém se aproximava.

Era ele, aquela figura de energia difusa, comportamento nocivo, haja vista os seus propósitos sempre ferinos, maliciosos...

Não deu outra, apressou o passo, chegou perto e inoculou o seu veneno.

Não sei o que me doia mais, se as suas palavras cortantes revestidas de inocentes ou se a sua gratuita, hedionda e humana necessidade de machucar.

Desisti do trajeto, retornei a casa que nem era minha. Sozinha, apenas desejava que o domingo, a dor, e as lágrimas fossem embora.

... Data deste dia, o nascimento do poema que se segue:



IMO

Hoje,
precisei do teu silêncio
Estava só,
imersa num vazio dolente
ferida no imo
Os olhos liberavam a bebida
que escorria até a boca entreaberta
dispensando taças, à praxe
A língua descobria enfim
que a vida está longe de ser doce
Salino é o sabor!
Assim foi-se a tarde
Que com uma bebida insólita
Embriaguei-me a brindar comigo,
A Maldade Humana.

ddai.

4 comentários:

Preciso me identificar para você? disse...

É difícil fazer uma autodefinição, mas eu (e outras pessoas também concordam comigo) me considero descrente, cética e por que não, às vezes cínica em relação à humanidade.Alguns fatos como o que você colocou neste Blog, infelizmente não me surpreendem mais. O homem é um ser essencialmente mau? Ou aprendeu a ser através da vida que leva? Suposições sem respota. Eu sei, Dai que pessoas como você sofrem muito mais, porém carregam uma esperança que ninguém nem nada nunca vai tirar delas. Meu conselho: uma dose cavalar dos livros de Machado de Assis (um cínico incorrigível), recheadas com alguns poemas de Fernando Pessoa e para encerrar um trecho de Carlos Drummond de Andrade: "Chega um tempo em que não se diz mais: meu Deus./Tempo de absoluta depuração./Tempo em que não se diz mais: meu amor./Porque o amor resultou inútil./E os olhos não choram./E as mãos tecem apenas o rude trabalho./E o coração está seco..."

Clau disse...

Trocamos então a erva doce pelo vinho?

Clau disse...

=)

lucilaleal disse...

Daiane, você não é só uma professora, você não é só uma pessoa que detem conhecimento, você não é só uma educadora de mentes, Você é muito mais que isso, você é uma verdadeira POETA !!!! Parabéns !!!